13
15

Entenda as fases do plano de previdência privada

Toda previdência complementar passa por duas fases: de acúmulo e de usufruto. A primeira é necessária para que o investidor construa o que deseja para ter uma aposentadoria tranquila, enquanto a segunda se trata do momento em que há o retorno das aplicações.

As fases do plano de previdência privada sempre são essas duas, mas de um plano para outro, ou entre instituições, podem haver diferenças importantes, que os titulares devem conhecer para tomarem boas decisões.

Portanto, saiba agora um pouco mais sobre essas fases e o que pode acontecer dentro delas.

Fase de acumulação

É o período pelo qual o investidor planta o que deseja colher lá na frente. Durante toda essa fase, que em geral dura entre 20 e 35 anos, ocorrem os depósitos no plano de previdência contratado.

Caso o investidor comece sua previdência tardiamente, a fase de acumulação pode ser menor — mas o consenso é: quanto maior o período, melhor. No caso de o contratante poder fazer depósitos de grandes valores, o acúmulo gera uma renda que deixa a aposentadoria financeiramente muito confortável e com sobras. E quem deposita o mínimo possível tem a possibilidade de construir uma boa renda pelo plano acumulando por muito tempo.

Para a fase de acumulação não existem muitos detalhes a serem analisados, pois ela se resume em depositar valores no plano. A grande questão dessa fase é a decisão de quanto investir levando em conta as possibilidades financeiras. Por exemplo, é possível iniciar o plano com depósitos pequenos e depois elevá-los conforme os crescimentos profissional e financeiro do titular.

Algo que também faz parte dessa fase são alguns custos, que devem ser conhecidos para se ter controle sobre os gastos. Além disso, a fase possibilita deduções de imposto de renda, o que é interessante aproveitar para ter economia tributária anualmente.

Dedução no imposto de renda

Durante a fase de acumulação pode ocorrer a dedução dos depósitos na base de cálculo do imposto de renda (declaração completa) do titular, caso seu plano seja o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL). Essa opção permite que o investidor deduza o equivalente a até 12% da sua renda tributável anual em relação ao total depositado no ano em sua previdência complementar.

Taxa de carregamento

Como a acumulação inicia com a adesão ao plano, a primeira despesa com essa fase pode ser a taxa de carregamento — percentual que, quando cobrado, incide sobre cada depósito feito. Aliás, ainda podem ocorrer cobranças dessa taxa na adesão ao plano e no seu encerramento.

Porém, nem sempre acontece a cobrança do carregamento. Então, a taxa existe para alguns investidores e para outros não, sendo fundamental a escolha por planos que não tem esse tipo de cobrança.

Taxa de administração e performance

Toda previdência complementar fica atrelada a um fundo de investimentos, aplicação que serve para gerar rendimentos ao investidor. Por isso, quem adere a um plano sempre tem de pagar a taxa de administração, pois é a remuneração da instituição pela gestão desse fundo.

Em relação à taxa de performance, nem sempre é cobrada. Apenas quando o gestor do fundo do plano consegue fazer com que a rentabilidade dele supere o indicador de referência utilizado para o retorno. Ou seja, sua ocorrência é uma boa notícia.

Taxa de custódia

Assim como a de carregamento, nem sempre é cobrada. A taxa de custódia é um custo mensal ou anual que os investidores têm para as instituições fazerem a guarda de suas aplicações.

Fase de usufruto

Após a liquidação do plano se inicia a colheita do que foi plantado ao longo das décadas, sendo que existem as seguintes opções de usufruto:

  • renda mensal vitalícia;
  • renda mensal temporária;
  • prazo certo;
  • resgates

Aqui a decisão pelo tipo de usufruto tem a ver com as necessidades do beneficiário e suas condições, como existência de outras fontes de renda e de patrimônio acumulado em demais ativos. Ainda há detalhes dos tipos de usufruto que impactam na decisão, como possibilidade de reversão da renda a cônjuge e/ou herdeiros em caso de falecimento dentro de determinado período da fase de recebimento.

Por exemplo, o plano pode tanto apenas encerrar os pagamentos em caso de morte do titular quanto seguir fazendo-os a demais beneficiários temporariamente ou até o falecimento deles. Isso depende das escolhas do investidor e do contrato celebrado na adesão ao plano.

Pagamento do imposto de renda

A cobrança de imposto de renda na previdência complementar entra em ação na fase de usufruto, incidindo sobre a renda do titular. Nesse momento o imposto pode ser aplicado de duas formas, pela tabela progressiva ou regressiva.

Enquanto na tabela progressiva ocorre o aumento de alíquota conforme a renda anual vinda do plano, na regressiva o que acontece é a queda dela de acordo com o tempo pelo qual o plano é mantido.

Apesar de ser uma cobrança da fase de usufruto, a forma de incidência é escolhida antes mesmo da fase de acumulação, quando o investidor opta por um plano e adere a ele. Portanto, é uma das primeiras avaliações a serem feitas para a tomada de decisão.

Resgate flexível

O investidor pode realizar resgates durante a fase de acúmulo, respeitando um prazo de carência que começa a contar a partir do primeiro depósito. Esta flexibilidade é uma opção positiva, mas de uso não recomendado. Por um lado, dá aos investidores a possibilidades de se ampararem financeiramente em caso de necessidades ou imprevistos, caso não haja outra forma de resolver determinada situação que exija gastos. Por outro, não é recomendada porque diminui o montante acumulado para a sua aposentadoria, além de gerar despesas adicionais ligados à antecipação de resgates, tais como, alíquotas maiores de imposto de renda e ect.

Mesmo que os conceitos sejam simples, as fases do plano de previdência apresentam possibilidades e detalhes que exigem atenção do titular no intuito de as melhores opções serem escolhidas conforme suas necessidades e seus objetivos. E se você quiser ler mais sobre previdência e investimentos diversos, assine a nossa newsletter e receba conteúdos sobre esses assuntos diretamente em seu e-mail.

Mostrar comentários

No Responses Yet

Leave a Reply