Dois assuntos têm estado continuamente na mídia e ainda não vem recebendo a atenção devida dos brasileiros: aposentadoria e longevidade. Segundo dados publicados pelo IBGE em 2018, a expectativa de vida ao nascer dos brasileiros, aumentou 30,5 anos nos últimos 77 anos. Isso quer dizer que nós deveremos viver, pelo menos, 30 anos a mais do que nossos avós.

Esse fato, por si só, é motivo de atenção, que demanda necessárias alterações no modo de vida das pessoas. Se, há alguns anos, as pessoas viviam pouco tempo após se aposentar, e contavam apenas com os benefícios pagos pela Previdência Social, isso já não será mais possível. As regras da Previdência Social estão mudando e a expectativa de vida das pessoas está aumentando consideravelmente.

Nos dias atuais, para preservar nosso estilo de vida por 30 anos ou mais, a partir da data da aposentadoria, será necessário constituir uma reserva financeira, de forma a complementar o benefício pago pelo INSS.
E, quanto mais cedo começarmos a pensar nesse assunto, mais fácil será constituir essa reserva. O esforço de poupança é muito MENOR se começarmos a poupar aos 20 anos, ao invés de iniciarmos aos 40 anos.

Como exemplo, podemos apresentar o seguinte cálculo: considere ter como objetivo juntar R$ 200 mil aos 65 anos, com uma taxa de juros de 4% a.a. Para atingir essa meta é preciso poupar R$ 137 por mês, se começarmos aos 20 anos. Já, se deixarmos para iniciar essa reserva aos 40 anos, será preciso poupar R$ 400 por mês, para juntar o mesmo valor.

Ocorre que, entre os jovens brasileiros que tem de 18 a 24 anos, que já estão trabalhando e que já tem renda, apenas 25% consideram a ideia de iniciar a reserva para a aposentadoria. Sendo que, destes, apenas 21% está constituindo reserva através de investimentos próprios. Os demais contam com a contribuição ao INSS como forma de se preparar para a aposentadoria.

Existem diferentes motivos que levam os demais 75% a não se preparar para a aposentadoria: 27% se consideram muito jovem para iniciar, 27% acham que é preciso ter muito dinheiro para começar e 21% destes jovens não faz ideia de como iniciar uma reserva. Essa pesquisa foi divulgada pelo CNDL/SPC em maio de 2019.

É preciso disseminar a informação que existem investimentos seguros, rentáveis e que podem ser iniciados a partir de R$ 30. Sair da inércia e começar a investir é o mais importante.

É preciso difundir, também, que essa reserva financeira para a aposentadoria pode ser constituída de várias formas, entre elas, a contratação de planos de Previdência Privada, a compra de títulos públicos federais de longo prazo e a constituição de carteiras de ações que paguem bons dividendos. O tipo de investimento a ser utilizado vai depender do perfil de risco do investidor, da sua disciplina em poupar e dos seus objetivos para essa fase da vida.

Cada um dos investimentos citados anteriormente tem suas características próprias. Os planos de Previdência Privada, por exemplo, podem facilitar a vida daqueles que tem dificuldade em poupar com regularidade, pois podem ser debitados em conta corrente.

Em relação aos títulos do Tesouro, existem aqueles que corrigem o dinheiro no tempo dos efeitos da inflação, ao mesmo tempo que garantem um juro adicional (IPCA+), existem aqueles que informam antecipadamente qual valor será recebido no futuro (PRÉ) e aqueles que acompanham a taxa de juros da economia (SELIC). A escolha vai depender, como já falamos anteriormente, do Perfil de risco e objetivo do investidor.

As carteiras de ações normalmente são direcionadas àqueles investidores que aceitam um pouco mais de risco, em troca de uma possível rentabilidade maior no longo prazo.

Este texto como objetivo principal reforçar a importância de refletirmos sobre o nosso FUTURO e de como queremos que ele seja. Nós somos protagonistas da nossa vida e precisamos aprender qual a melhor forma de começar a constituir nossa reserva, para que esse FUTURO seja da forma que nós desejamos. Existem muitas maneiras de começar. Caso você não se sinta seguro em iniciar sozinho, procure ajuda de um profissional de finanças.