1
1

Saiba quando contratar um seguro de vida

Temos o hábito de contratar seguro para os nossos carro e casa, no intuito de garantir que não percamos estes bens conquistados em caso de imprevistos, como roubo, incêndio etc. Porém, se refletirmos sobre qual é o nosso maior patrimônio, certamente a maioria das pessoas indicará a própria vida e a da sua família. É aí que entra o seguro de vida!

Como funciona o seguro de vida

Para que você compreenda de uma forma simples, o seguro de vida paga uma indenização para os beneficiários em caso de morte natural ou acidental do titular. Geralmente, as pessoas colocam seus filhos, mulher ou marido. Também é possível colocar outras pessoas como beneficiários, como irmão, sobrinho, tio até mesmo alguém que trabalhou por muito tempo para a família.

Normalmente, são procurados os seguros com coberturas básicas, que incluem morte por causa natural e acidental. Porém, existem outras coberturas adicionais que cobrem o titular do seguro ainda em vida, tais como:

  • Diagnóstico de Doenças Graves;
  • Invalidez por Acidente ou Doença;
  • Diárias por internação hospitalar ou por incapacidade temporária.

Quando contratar um seguro de vida?

O ideal é que se contrate um seguro de vida quando existam pessoas que dependam financeiramente de você. Outra possibilidade de contratação referem-se às proteções em vida, pois um evento inesperado pode impactar a sua vida pessoal e prejudicar sua capacidade de trabalhar.

Para que você possa manter seu padrão de vida, são recomendadas as coberturas de proteção em vida, como por exemplo, invalidez e diagnóstico de doenças graves. Quanto mais jovem e saudável melhor para se contratar o seguro, pois desse modo, os planos se tornam mais acessíveis. Isso acontece, porque ao contratar uma apólice de seguro, você deve responder a uma série de perguntas relacionadas a sua saúde, quanto mais velho e debilitado for o contratante, mais caro o seguro.

Quatro motivos para adquirir um seguro

  • Proteção Familiar

Para clientes com dependentes financeiros, fazer um seguro de vida é ter a certeza de que sua família terá um respaldo financeiro caso alguma fatalidade aconteça. Não tem preço deixar para os filhos e para o cônjuge uma segurança financeira para poderem colocar a vida nos trilhos após a sua falta. A vida demora um pouco para voltar ao normal. Por exemplo, é preciso esperar sair o inventário para retomar as rédeas da situação. Então, o seguro ajuda muito neste caso.

  • Proteção Pessoal

Um evento inesperado pode impactar a sua estabilidade financeira. As proteções em vida (Invalidez, doenças graves e diárias por incapacidade temporária) mitigam o risco de uma eventual perda de renda.

  • Proteção Patrimonial

Para clientes que já conquistaram a independência financeira, um evento de doença grave ou invalidez, apesar de não necessariamente impactar a geração de renda, pode causar altos custos que façam com que parte considerável do patrimônio construído precise ser utilizada. Desta forma, de maneira similar à proteção pessoal, as coberturas em vida podem ser uma boa alternativa para se proteger.

  • Proteção Sucessória

Um processo de inventário, no Brasil, além de burocrático e demorado, gera custos consideráveis. O seguro de vida permite que, além de ficarem totalmente livre de impostos e serem pagos de forma rápida, os beneficiários possam ser escolhidos livremente.

Leve sempre em consideração quais são as reais necessidades da sua família e pondere todas as vantagens e desvantagens, até que fique claro qual é a melhor modalidade de seguro de vida para manter sua família segura financeiramente.

Pesquisar valores é necessário, já que o contrato é feito em cima das características pessoais de cada contratante. O seguro de vida deve ser personalizado e customizado de forma a se contratar somente o necessário para cada pessoa/família, no intuito de reduzir a despesa com esta proteção.

Lembre-se que o seguro de vida, seja ele resgatável ou não, deve fazer parte do seu planejamento financeiro.

Mostrar comentários

No Responses Yet

Leave a Reply